sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Rumo errado

Quando a vida toma o rumo errado, custamos a encontrar o caminho certo. Mas encontramos, eventualmente.
Mas para que possamos encontrar o caminho certo, é preciso parar de olhar para trás, tentando decifrar em que esquina nos perdemos, onde que as coisas deram errado... E essa é a tarefa mais difícil.
Se conformar.
Deixar que as coisas sigam, que o passado fique onde deve estar, em um lugar que não voltamos toda hora para cutucar, para tentar decifrar. Deixar que as coisas rolem, que as lágrimas não corram, que o que ficou não volte pra nos assombrar. Que o monstro do inconformismo fique dentro do armário. Que a vontade que tudo volte a ser como era antes fique debaixo da cama.
Que a vontade de consertar, o desespero de mudar, não deixe que a vida perca o sentido, que o amor pareça inexistente, que a felicidade pareça inalcançável, que as tarefas cotidianas sejam impossíveis.
Que um passado feliz, um amor não mais existente, não assombre pro resto da vida.
Espero que aquilo que já nos fez tão felizes, tão completos, não pareça tão distante como parece agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário