sábado, 28 de agosto de 2010

Querido amor,

Há tempos quero demonstrar minha insatisfação por você.
Todas as suas promessas não cumpridas, todas as noites em claro, todas as lágrimas derramadas e todo o tempo que não volta.
Há tempos quero dizer como você não me satisfaz. Como me decepciona. Como me faz sentir que é melhor viver sem você.
Há tempos desejo parar de te querer. Parar de esperar.
Há tempos questiono suas várias maneiras de me aparecer. As suas várias intensidades. De amor, amizade, coleguismo.
E há tempos me decepciona.
Há tanto tempo, que nem me lembro mais, gostaria de poder mandá-lo embora, para bem longe da minha vida, para algum lugar em que não possa me machucar, em que não tenha controle sobre mim. Em um lugar distante, no qual não possa me decepcionar.
Para algum lugar em que eu não pense: É você, dessa vez não vou me frustrar.
E realmente não me frustrar.
Há tempos você vem me deixando na mão. Em suas variadas formas, é sempre muito de mim e pouco de você.
E hoje... Bem, hoje não foi diferente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário